Ureia e amônia ajudam a controlar a poluição industrial

Em soluções, esses compostos nitrogenados reduzem significativamente as emissões do óxido de nitrogênio gerado pelas atividades fabris

Lançados na atmosfera sem os devidos cuidados, os óxidos de nitrogênio podem tornar-se fonte de sérios problemas para o meio ambiente, e de graves danos para nossa saúde.

Nos seres humanos, esses compostos gasosos são agentes potencialmente causadores de problemas pulmonares e alergias; no meio ambiente, contribuem para a formação das chamadas ‘chuvas ácidas’, e agravam o efeito estufa. Por isso, suas emissões são hoje regulamentadas e controladas pelas autoridades sanitárias e ambientais.
Motores a combustão constituem uma das principais fontes de emissão dos óxidos de nitrogênio. E, no Brasil, a legislação hoje exige que a maioria dos caminhões e ônibus só circulem quando em seus sistemas de escapamento estiver presente o Arla 32, um produto à base de ureia que reduz significativamente as quantidades de óxidos de nitrogênio que eles lançam na atmosfera.

Mas a indústria também emite quantidades significativas desses compostos, seja através de motores, ou em sistemas de combustão em altas temperaturas, como fornos, caldeiras, estufas e incineradores.
Alguns processos produtivos – especialmente na indústria química e na fabricação de explosivos -, também podem gerar óxidos de nitrogênio como subprodutos. E eles podem formar-se ainda em silos de armazenamento de safras, pois cereais contêm nitritos e nitratos cuja decomposição pode liberar esse gás.
Existem, porém, produtos bastante eficazes na redução das emissões industriais de óxidos de nitrogênio: entre eles, destacam-se as Soluções de ureia e as Soluções de Amônia.

Propriedades

Designado pela fórmula genérica NOx, o conjunto dos óxidos de nitrogênio abrange diversos compostos químicos gasosos formados pela combinação de oxigênio com nitrogênio.
Entre eles, são considerados mais agressivos para o meio ambiente o dióxido de nitrogênio (NO2) e o óxido nítrico (NO), também chamado de monóxido de nitrogênio. Já o N2O (óxido nitroso), apesar de não ser relevante como poluidor atmosférico direto, pode agravar o efeito estufa.

As soluções de ureia e amônia reduzem significativamente as emissões desses compostos sendo injetadas nos gases de combustão antes que eles ingressem no sistema de escape, e gerando uma reação que converte o NOx em nitrogênio gasoso (N2), água, e eventualmente um pouco de gás carbônico (CO2).
Denominado RCS – Redução Catalítica Seletiva, esse gênero de reação é idêntico àquele realizado nos veículos automotivos, nos quais o Agente Redutor Líquido Automotivo – como é denominado tecnicamente o Arla 32 -, que diminui em até 98% as emissões de gases de óxidos de nitrogênio.

A ureia e a amônia da Usiquímica

Base de uma dessas soluções de redução das emissões de óxido de nitrogênio, a amônia tem suas moléculas compostas por um átomo de nitrogênio e três átomos de hidrogênio, e fórmula química NH3.
Além de minimizar a poluição industrial, ela é amplamente utilizada em aplicações de diversos setores, como as indústrias têxtil, alimentícia e de cosméticos, a agropecuária, a produção de borracha, couro, lubrificantes e tintas, o tratamento de efluentes, entre outros.
Já a ureia tem a fórmula (NH2)2CO, e é produzida não apenas pela indústria, mas pelo próprio organismo, humano e de diversos outros seres vivos, animais e vegetais.

É intensamente utilizada nos agronegócios, onde é tanto ingrediente dos fertilizantes – constitui a principal fonte de nitrogênio, nutriente essencial para as lavouras -, quanto componente da alimentação do gado. Mas tem aplicações também nas indústrias farmacêutica e de produtos de higiene e limpeza, na manufatura de plásticos, nas indústrias química e têxtil, no beneficiamento de couro. Sem contar com seu uso como agente ativo do Arla 32.

Em seu portfolio, a Usiquímica tem ureia em três versões: Solução aquosa a 45%; Ureia Técnica; Ureia Grau Arla. Você encontra mais informações sobre esses produtos clicando aqui.
E nossa amônia é fornecida a gás, ou em uma vasta gama de soluções: 05/06%; 20% a 28%; 24/25%; 26% e 28%. Para saber mais sobre ela, clique aqui.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *