O papel da indústria química na produção de domissanitários

Segundo o dicionário, os domissanitários são substâncias higienizadoras que se destinam ao uso domiciliar, sendo responsáveis pela higienização, desinfecção ou desinfestação de um domicílio. Só por esta definição, fica evidente a sua relevância em tempos de Covid-19. No entanto, o mercado dos domissanitários vai além. Essa categoria de produtos não só se tornou fundamental no atendimento dos protocolos sanitários, como também demonstrou estar alinhada a práticas amigáveis ao meio ambiente.

Diante da crise sanitária provocada pelo vírus SARS-CoV-2, a preocupação com a esterilização dos ambientes e a higiene pessoal colocou a indústria química no centro dos holofotes. E ela respondeu à altura. Entre a vasta variedade de produtos de limpeza existentes no mercado, o hipoclorito de sódio vem se destacando. Esse insumo – nomeado água sanitária, ao ser comercializado em uma concentração de até 2,5% – confirmou a sua eficácia e se consolidou como uma importante solução contra a contaminação de micro-organismos.

Sem perder o foco na eficiência dos domissanitários, a indústria química também vem reforçando seu viés ecológico. Um exemplo dessa postura se nota no portfólio da distribuidora Usiquímica, com seu Lauril-Éter Sulfato de Sódio (LESS), de fonte renovável (óleo de palma). Esse tensoativo, comumente utilizado em detergentes e outros produtos de limpeza, está em sintonia com as tendências do mercado, demonstrando que os domissanitários se movimentam na direção da sustentabilidade e se mostram aptos para atender às demandas mais atuais, mesmo que sejam de um novo e ainda desconhecido normal.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *