Neutralização de efluentes

De maneira geral, dizemos que efluentes são resíduos provenientes de atividades industriais, humanas e de rede de esgoto, que são descartados no meio ambiente, e que podem estar no estado líquido ou gasoso. Quando falamos em efluentes gasosos, a nossa grande preocupação é de que eles podem tornar o ar que respiramos impróprio, já que os gases liberados no ar pelas fábricas podem ser tóxicos, e, uma vez combinados com os gases gerados pelos automóveis, podem causar um aumento das doenças respiratórias crônicas, assim como câncer de pulmão, doenças cardíacas e muitas outras enfermidades. Associado a isto, a poluição do ar também afeta a vida selvagem, podendo levar à extinção de espécies de plantas e animais. Já com relação aos efluentes líquidos, podemos destacar as indústrias como uma das maiores fontes emissoras para o lançamento desse tipo de efluente. O despejo de água contaminada, gases, produtos químicos, metais tóxicos, ou materiais radioativos em grandes cursos d’água causam danos à vida marinha e ao meio ambiente como um todo. Os problemas decorrentes da contaminação por efluentes líquidos não se restringe unicamente aos cursos hídricos, podendo também resultar na contaminação do solo, especialmente devido ao descarte deste tipo de resíduo em aterros sanitários. Esses produtos químicos e materiais tóxicos são altamente perigosos, pois podem comprometer a fertilidade do solo, diminuir a produtividade das lavouras, e até mesmo levar à contaminação dos alimentos que consumimos.
O tratamento dos efluentes industriais deve ser realizado considerando as características físicas, biológicas e químicas, de acordo com a natureza dos poluentes a serem removidos. Dentre os tipos de processos, os do tipo físico são aqueles no qual se removem os sólidos sedimentáveis e flutuantes através de separações físicas, tais como gradeamento, peneiramento, sedimentação e flotação. Também são processos físicos aqueles que utilizam processos de filtração em areia, muito utilizados em Estações de Tratamento de Águas – ETAs, ou em membranas para remoção de microrganismos suspensos. Já o tratamento biológico de efluentes industriais visa a remoção da matéria orgânica dissolvida e em suspensão, transformando-a em gases ou sólidos a serem sedimentados através do uso de microrganismos vivos para promover a degradação da matéria orgânica em excesso. Já o tratamento químico é aquele que faz o uso de produtos químicos tais como agentes de coagulação, floculação, neutralização, oxidação, redução e desinfecção em diferentes etapas dos sistemas de tratamento.
Dentre esses métodos, a neutralização é o processo final para despejo de qualquer efluente líquido no meio ambiente e cursos d’água. Isso porque, antes de ser descartado, o efluente deve ter o seu pH corrigido para evitar problemas ambientais no local de despejo. Segundo a Resolução CONAMA nº 357, de 17 de março de 2005, a condição de lançamento de efluentes é que ele apresente pH entre 5 e 9 e, caso contrário, deve ser corrigido até que atinja este valor estabelecido na Resolução. Esta neutralização tem a finalidade de evitar que os resíduos lançados acometam a fauna e flora do local despejado. Para os casos em que a solução possuir pH menor que 5, deve-se aplicar uma base para neutralizar o efluente. As bases mais aplicadas são as famílias das aminas, soluções de hidróxidos, como o NaOH, além de soluções de amônia entre outros. Já para os casos que a solução apresentar pH maior que 9, um ácido é o mais adequado na etapa de neutralização, sendo geralmente aplicados ácidos do tipo clorídrico, sulfúrico, nítrico, acético, perclórico etc. Esses efluentes, após neutralizados, podem também ser reaproveitados no processo industrial, assim, quanto mais próximo da neutralidade estiverem, mais facilmente terão destino e aplicabilidade.

Matérias-primas do portfólio da Usiquímica:

Inúmeras indústrias de outros segmentos utilizam ácidos e bases com a finalidade de tratar os efluentes gerados por elas. A Usiquímica é uma das empresas que atua como fornecedora destes materiais:
Ácido clorídrico 33%: O produto é apresentado na forma de uma solução de incolor a levemente amarelada. Conhecido, também, pela sua fórmula química, HCl, é utilizado para a fabricação de cloretos, decapagem de metais e neutralização de efluentes.
Ácido Sulfúrico 98%: O Ácido Sulfúrico é um ácido inorgânico líquido na temperatura ambiente, incolor, viscoso e pouco volátil, ou seja, não evapora com facilidade. A maior parte do Ácido Sulfúrico produzido mundialmente é utilizada para a fabricação de Fertilizantes Fosfatados e Sulfatados, bastante aplicado também na produção de Sulfato de Alumínio, um dos produtos necessários para a produção de papel. As outras aplicações para o Ácido Sulfúrico refino do Petróleo são a fabricação do nylon, preparação da superfície de metais em indústrias metalúrgicas, catalisador ácido em reações químicas, fabricação de explosivos, tratamento de efluentes.
Amônia Solução Em Diversas Concentrações: A Usiquímica, fabricante e líder no mercado de Amônia Solução (Hidróxido de Amônio), comercializa o produto em diversas concentrações e de acordo com a demanda do cliente. Principais aplicações: Indústria têxtil, agrícola, borracha, couro, lubrificantes, alimentícia, cosmética, tratamento de efluentes líquidos e gasosos, tintas entre outras.
Soda Cáustica Solução 49/50%: A Soda Cáustica é uma substância com alto poder desengordurante, que está presente nos mais diversos setores da indústria e na rotina de cuidados domésticos tão importante nos dias de hoje, na limpeza e desinfecção industriais e tratamento de água.

Saiba mais sobre estes e outros produtos em Produtos Usiquímica.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *